Ataque israelita mata comandante de topo do Hezbollah no Líbano

Forças apoiadas pelo Irão têm estado envolvidas em confrontos com Israel, não só o Hezbollah mas também os rebeldes houthis do Iémen
Forças apoiadas pelo Irão têm estado envolvidas em confrontos com Israel, não só o Hezbollah mas também os rebeldes houthis do Iémen Direitos de autor AP Photo/Hussein Malla
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Um comandante do Hezbollah foi morto esta segunda-feira num ataque israelita no sul do Líbano.

PUBLICIDADE

Um comandante do Hezbollah foi morto esta segunda-feira num ataque aéreo lançado por Israel no sul do Líbano. 

O grupo xiita libanês confirmou que o comandante morto é Wissam Tawil, um responsável de uma unidade do grupo Radwan – uma força de operações especiais do Hezbollah.

Wissam Tawil foi morto quando um ataque israelita atingiu o seu carro, onde estava outro combatente da milícia libanesa. 

Israel alega que Tawil foi responsável por ataques contra instalações militares israelitas na Galileia.

As tensões entre Israel e o grupo xiita libanês têm aumentado desde o início da guerra em Gaza, mas sobretudo desde a morte, em Beirute, na semana passada, do 'número dois' do braço político do Hamas, Saleh al-Arouri, num ataque atribuído a Israel.

O ministro da Defesa israelita, Yoav Gallant, afirmou na segunda-feira que Israel deu início a uma nova fase “menos intensa” no conflito em Gaza.

O Ministério da Saúde em Gaza anunciou que pelo menos 23.084 pessoas foram mortas no território desde 7 de outubro. Só nas últimas 24 horas, 249 pessoas foram mortas.

Milhares de palestinianos têm sido obrigados a abandonar as suas casas e a fugir para o sul de Gaza, à medida que os combates entre as forças israelitas e o Hamas se sucedem na zona centro do território.

O secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, que está em missão diplomática pelo Médio Oriente, esteve esta segunda-feira na Arábia Saudita.

Blinken reuniu-se com o príncipe herdeiro saudita, Mohammed bin Salman, com o objetivo de persuadir os principais líderes árabes a não só conter a guerra, mas também a preparar o futuro de Gaza. 

À chegada à Arábia Saudita, Blinken reuniu-se ainda com o chefe da diplomacia europeia Josep Borrell. O alto representante para a Política Externa e Segurança da União Europeia quer iniciar uma iniciativa repartida entre árabes e europeus para iniciar um novo processo de paz. O objetivo final é conseguir uma solução de dois Estados.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Forças israelitas terminam operações no norte de Gaza

Novos ataques de Israel em Gaza matam pelo menos 48 pessoas

Três pessoas morrem em novo tiroteio na Cisjordânia