Suspeitos do ataque de Moscovo acusados e apresentados à imprensa com sinais de violência

Homens apresentam sinais visíveis de maus-tratos
Homens apresentam sinais visíveis de maus-tratos Direitos de autor Alexander Zemlianichenko/AP
De  Ricardo Figueira com AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

As autoridades russas acusaram oficialmente os quatro homens, oriundos do Tadjiquistão, e apresentaram-nos à imprensa. Todos têm sinais visíveis de maus-tratos e um deles apareceu de cadeira de rodas.

PUBLICIDADE

Os suspeitos do ataque terrorista que fez 137 mortos numa sala de concertos na região de Moscovo, na sexta-feira, foram apresentados à imprensa, antes de oficialmente acusados pelo tribunal e colocados em prisão preventiva. 

Os quatro homens, quatro principais suspeitos entre os 11 alegadamente detidos pelos serviços de segurança, apareceram com sinais visíveis de maus-tratos, com ligaduras e nódoas negras e um deles a chegar de cadeira de rodas. São todos, segundo as autoridades, originários do Tajiquistão a viver na Rússia.

Três deles declararam-se culpados das acusações, que lhes podem valer a prisão perpétua. Este caso reacendeu o debate sobre a pena de morte, atualmente alvo de uma moratória na Rússia.

Um ramo do grupo terrorista Estado Islâmico reivindicou o ataque, mas o regime de Vladimir Putin insiste em culpar a Ucrânia, isto apesar de o governo de Kiev, a par dos Estados Unidos, negar qualquer tipo de envolvimento.

Ao contrário de outros responsáveis políticos, Putin não visitou o local da tragédia e fez uma oração na capela da residência privada, a uma dezena de quilómetros de Moscovo.

Este domingo, foi observado um dia de luto nacional pelas vítimas. O último balanço dá conta de 137 mortos 182 feridos

No interior da sala de espetáculos, as equipas de busca começaram a desmantelar os escombros, enquanto os investigadores continuam a recolher provas. As equipas de investigação já encontraram quatro conjuntos de equipamento de combate, mais de 500 munições e 28 carregadores, bem como duas Kalashnikov.

O Gabinete de Medicina Legal de Moscovo iniciou oficialmente o processo de identificação dos corpos, que poderá demorar até duas semanas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ataque em Moscovo: pelo menos 137 mortos, Putin nas homenagens às vítimas

Putin declara luto nacional na Rússia e insiste no envolvimento de Kiev

Ataque em sala de espetáculos perto de Moscovo faz pelo menos 40 mortos