EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Governo francês vai avançar com medidas para combater défice de 5,5%

Gabriel Attal garantiu que não vai aumentar impostos para melhorar as contas do país
Gabriel Attal garantiu que não vai aumentar impostos para melhorar as contas do país Direitos de autor Christophe Ena/Copyright 2024 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor Christophe Ena/Copyright 2024 The AP. All rights reserved.
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Gabriel Attal quer reduzir tempo do subsídio de desemprego e fazer outros cortes na despesa pública. Executivo francês propõe-se a atingir défice de 3% até 2027.

PUBLICIDADE

O governo francês vai apresentar medidas para combater o défice, com o foco na redução da despesa pública. 

Dados divulgados esta semana mostram que o défice das contas públicas ficou em 5,5% do PIB, muito acima das previsões do governo que colocavam a meta nos 4,9%.

O primeiro-ministro Gabriel Attal acredita que o executivo conseguirá reduzir o défice para 3% - o limite definido pela União Europeia - até 2027, mas analistas e agências de rating não parecem estar tão confiantes.

Numa entrevista, Attal disse que a redução do tempo do subsídio de desemprego, que atualmente é de 18 meses, seria uma das prioridades do governo. A medida já foi contestada pelos sindicatos que alertam para o crescimento da taxa de desemprego no país.

Por outro lado, o primeiro-ministro francês garantiu que o aumento de impostos não fará parte do pacote de medidas para melhorar as finanças públicas.

As propostas do executivo muito provavelmente encontrarão alguma resistência no parlamento, uma vez que o partido no poder do Presidente Emmanuel Macron não tem maioria.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Macron no Brasil: presidente francês lança submarino e anuncia investimento de mil milhões de euros

Institutos alemães baixam para 0,1% perspetiva de crescimento do PIB deste ano

Salvini diz que "Macron põe a Europa em perigo". Ventura pede votos para mudar a presidência da CE