EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Biden quer garantir que está apto para a presidência no jantar de encerramento da cimeira da NATO

Receção de líderes NATO na Casa Branca
Receção de líderes NATO na Casa Branca Direitos de autor Evan Vucci/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Evan Vucci/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
De  euronews com AP
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Na quinta-feira, Joe Biden tem uma boa oportunidade de mostrar ao público americano que é capaz de cumprir mais quatro anos como Presidente dos EUA.

PUBLICIDADE

O presidente Joe Biden e a primeira-dama Jill Biden receberam vários líderes mundiais na Casa Branca, em Washington para um jantar na quarta-feira por ocasião da cimeira da NATO.

O presidente norte-americano tem a agenda preenchida de reuniões,conversas informais e longos jantares diplomáticos, oportunidades para mostrar que está em plenas condições físicas e mentais, apesar do desempenho preocupante no mês passado no primeiro debate presidencial frente a Trump.

A sua campanha para a reeleição, que está em risco, deparou-se com novos problemas na quarta-feira, quando a presidente emérita da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, disse apenas que "cabe ao presidente decidir" se ele deve continuar na corrida, enquanto o ator George Clooney disse que ele não deve concorrer e os senadores e deputados democratas expressaram novos receios quanto à sua capacidade de vencer o republicano Donald Trump.

Na quinta-feira, o presidente tem uma nova oportunidade de provar ao público americano que é capaz de cumprir mais quatro anos de mandato.

Biden, 81 anos, encerrará a cimeira da NATO em Washington - um evento destinado a mostrar a sua liderança na cena mundial - com uma rara conferência de imprensa a solo. A sua resistência e eficácia estão sob o microscópio como nunca antes e ele está a lutar para acalmar o pânico do Partido Democrata sobre as suas hipóteses em novembro.

De acordo com muitas métricas, desde o crescimento do emprego e legislação importante até à expansão da aliança transatlântica, Biden pode apontar sucessos durante o seu mandato. Mas onde ele falhou por vezes - de forma espetacular, no caso do debate - foi numa parte definidora do seu papel que não consta da descrição oficial do cargo: Proferir uma oratória inspiradora que atraia a atenção e o respeito da nação.

Biden tem tentado melhorar o seu desempenho desde o debate, mas a entrevista que deu na semana passada à ABC foi considerada dececionante.

Os americanos tendem a considerar os seus líderes menos pelo que fazem do que pela forma como os fazem sentir, e o desastre do debate de Biden abalou o seu partido até ao âmago.

"O debate foi um lembrete de que se pode ter todas as políticas que se quiser, mas o que o público vê e ouve pode ser mais importante", disse Julian Zelizer, historiador presidencial de Princeton.

A sua conferência de imprensa será observada de perto pela sua capacidade de pensar com os pés no chão, de demonstrar dinamismo e de articular que ainda é capaz de fazer o trabalho e de o ganhar mais uma vez.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

NATO diz que é "irreversível" o caminho da Ucrânia para a adesão

NATO acusa China de ser um "facilitador decisivo" da guerra da Rússia contra a Ucrânia

Líderes europeus apoiam NATO no meio da incerteza das eleições nos EUA