EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

"Quanto mais se instala, mais barato fica": energia eólica e solar deverá produzir 33% da eletricidade mundial até 2030

Um grande parque solar
Um grande parque solar Direitos de autor Canva
Direitos de autor Canva
De  Euronews Green com Reuters
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

Os preços da energia vão baixar com o aumento da produção eólica e solar.

PUBLICIDADE

Os projetos eólicos e solares estão em vias de representar mais de um terço da eletricidade mundial até 2030, segundo um relatório do Rocky Mountain Institute (RMI).

Isto indica que o sector da energia pode conseguir a mudança necessária para cumprir os objectivos climáticos globais.

No início deste ano, Sultan al-Jaber, presidente da próxima cimeira das Nações Unidas sobre o clima, COP28, apelou à triplicação da produção de energias renováveis até 2030 para reduzir as emissões de gases com efeito de estufa e ajudar a atingir os objetivos estabelecidos no acordo de Paris sobre o clima de 2015.

Estamos no bom caminho para atingir os objetivos em matéria de energias renováveis?

O crescimento exponencial do setor significa que se prevê que os projetos eólicos e solares produzam pelo menos 33% da eletricidade mundial, contra os actuais 12%.
Esta situação conduzirá a uma diminuição da produção de eletricidade a partir de combustíveis fósseis e a uma energia mais barata, segundo o relatório do RMI.

O RMI, uma organização sem fins lucrativos sediada nos EUA que se dedica à energia limpa, realizou a investigação em parceria com o Bezos Earth Fund, um fundo de 10 mil milhões de dólares criado pelo proprietário da Amazon, Jeff Bezos, para ajudar a financiar soluções para as alterações climáticas.

O custo da energia solar, que já é a forma mais barata de produção de eletricidade, baixará de cerca de 40 dólares (35,70 euros) por megawatt-hora (MWh) para 20 dólares (17,80 euros) por MWh, à medida que mais projetos forem sendo implantados e as economias de escala melhorarem, segundo o relatório.

"A vantagem de uma rápida implantação das energias renováveis é uma maior segurança energética e independência real, para além de uma deflação dos preços da energia a longo prazo, uma vez que se trata de uma tecnologia fabricada - quanto mais se instala ,mais barata fica", afirmou Kingsmill Bond, diretor sénior da RMI.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Em 2024, gregos podem optar por conta da eletricidade fixa ou variável

Energias renováveis: presidente da COP28 apela à triplicação da produção até 2030

Solstício de verão: energia solar ocupa um papel importante no setor da eletricidade