EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Polónia e Países Baixos entre os países da UE que vão realizar eleições este ano

O Presidente Andrzej Duda dirige-se aos apoiantes após o fim da votação nas eleições presidenciais em Lowicz, na Polónia, a 28 de junho de 2020.
O Presidente Andrzej Duda fala aos apoiantes após o fim da votação nas eleições presidenciais em Lowicz, na Polónia, a 28 de junho de 2020. Direitos de autor AP Photo/Petr David Josek
Direitos de autor AP Photo/Petr David Josek
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied
Artigo publicado originalmente em inglês

Milhões de eleitores da União Europeia vão às urnas antes do final do ano, com as votações na Polónia e nos Países Baixos a serem acompanhadas de perto em todo o bloco europeu.

PUBLICIDADE

As eleições legislativas na Polónia estão marcadas para 15 de outubro, com o partido nacionalista de direita Lei e Justiça (PiS) na liderança. Mas a Plataforma Cívica, na oposição, liderada pelo antigo primeiro-ministro e presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, tem vindo a subir nas sondagens.

O PiS espera poder assegurar um terceiro mandato no poder. Até agora, o seu mandato tem sido caracterizado por conflitos com Bruxelas em questões que vão desde a independência do sistema judicial e dos meios de comunicação social, aos direitos das mulheres e das minorias, bem como aos objectivos climáticos.

Os eleitores holandeses vão, entretanto, votar a 22 de novembro. As eleições antecipadas foram marcadas na sequência do colapso, no início de julho, do governo de coligação liderado pelo primeiro-ministro Mark Rutte, devido a uma polémica sobre migração.

Rutte, apelidado de "Teflon Mark" pela sua capacidade de sobreviver a anteriores crises políticas e de se manter no poder, anunciou a sua retirada da política .

O seu partido conservador, o VVD, está bem nas sondagens, mas os seus parceiros de coligação, a União Cristã, centrista, e o D66, social-liberal, estão a ficar atrás do novo partido populista de protesto dos agricultores, o BBB, e do PVV, de extrema-direita.

O Partido Trabalhista (PvdA) e os Verdes esperam contrariar a ascensão destes dois partidos, unindo forças e apoiando Frans Timmermans, que regressa à política nacional depois de 10 anos como "czar do clima" da UE.

Outras eleições legislativas na UE terão lugar na Eslováquia (30 de setembro) e no Luxemburgo (8 de outubro).

Em Espanha, poderá também ser marcado um novo escrutínio, depois de as eleições de julho, realizadas na sequência do colapso da coligação liderada pelo primeiro-ministro socialista Pedro Sanchez, terem tido resultados inconclusivos. Nem o Partido Popular, na oposição, nem os socialistas de Sanchez obtiveram votos suficientes para governar sozinhos, tendo os resultados também dificultado a formação de coligações.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Sob a sombra da guerra, Polónia marca data das eleições Legislativas

Frans Timmermans quer liderar governo dos Países Baixos

Cidadãos suecos libertados pelo Irão reencontram as suas famílias em Estocolmo