EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Verona: Papa abraça israelitas e palestinianos, familiares das vítimas da guerra

Papa Francisco abraça um palestiniano e um israelita numa cerimónia em Verona
Papa Francisco abraça um palestiniano e um israelita numa cerimónia em Verona Direitos de autor Vatican News
Direitos de autor Vatican News
De  Fortunato Pinto
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Foi com emoção que dois familiares das vítimas da guerra em Gaza receberam um abraço do Papa durante uma visita a Verona. Francisco abraçou um palestiniano e outro israelita.

PUBLICIDADE

A visita pastoral do Papa Francisco a Verona começou com um encontro com sacerdotes e pessoas consagradas na Basílica de San Zeno, descrita pelo pontífice como “uma das mais belas de Itália, que inspirou poetas como Dante e Carducci”.

“Por favor, perdoem tudo, não torturem os penitentes”, disse Francisco aos sacerdotes, ministros do sacramento da penitência, presentes na Basílica.

No pátio da Basílica, o Papa encontrou-se com cerca de sete mil jovens

“Devemos ser um sinal de paz, partilhando sempre bem, escutando os outros, jogando com os outros, mas não lutando com os outros. Digamo-lo juntos: temos de ser um sinal de paz, juntos", disse Francisco, desejando paz nos territórios da Ucrânia, da Terra Santa, de África e de Myanmar.

A visita do Papa prosseguiu no Areão de Verona, com mais de dez mil pessoas. “A cultura fortemente marcada pelo individualismo corre sempre o risco de fazer desaparecer a dimensão da comunidade, onde houver um forte individualismo, desaparece o sentido de comunidade, e esta é talvez a raiz das ditaduras”, disse o Papa durante o evento “Arena da Paz - Justiça e Paz se beijarão”.

“Se a ideia que temos do líder é a de um solitário, acima de todos os outros, chamado a decidir e a agir em seu nome e a seu favor, então estamos a fazer nossa uma visão empobrecida e empobrecedora, que acaba por drenar as energias criativas de quem é líder e por tornar estéril a comunidade e a sociedade no seu conjunto. Ninguém existe sem os outros", acrescentou o Papa.

Papa Francisco segura bandeira da paz em Verona
Papa Francisco segura bandeira da paz em VeronaAP Photo

O abraço do Papa a israelitas e palestinianos

“Para pôr fim a todas as formas de guerra e violência, temos de estar ao lado dos mais pequenos, respeitar a sua dignidade”, acrescentou Francisco.

O empresário israelita Maoz Inon, que perdeu os pais no atentado do Hamas de 7 de outubro, e o empresário palestiniano Aziz Sarah, cujo irmão foi morto pelo exército israelita, subiram ao palco para ler um discurso escrito a quatro mãos, onde apelaram à paz no Médio Oriente.

Depois de aplaudidos de pé por todos os presentes, o Papa agradeceu-lhes e disse: “Tiveram a coragem de se abraçar, um testemunho não só de paz mas também de um projeto de futuro”. Os dois empresários aproximaram-se então do Pontífice, que se levantou e os abraçou à vez. Aplausos e lágrimas entre os presentes.

O Papa deixou então a Arena e dirigiu-se à prisão de Montorio, onde se encontrou com as mulheres e os homens detidos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Papa Francisco invoca a Nossa Senhora de Fátima para pedir paz no mundo

Papa faz apelo à natalidade: "Sem crianças e jovens, um país perde o seu desejo pelo futuro"

Papa Francisco volta a apelar à paz e lamenta investimentos na produção de armas