EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Chipre e ilhas gregas do Egeu unem-se para criar arquivo com milhares de documentos audiovisuais

Em parceria com The European Commission
Chipre e ilhas gregas do Egeu unem-se para criar arquivo com milhares de documentos audiovisuais
Direitos de autor euronews
Direitos de autor euronews
De  Cristina Giner
Publicado a
Partilhe esta notícia
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A plataforma Digital Herodotus II reúne documentos audiovisuais, fotografias e textos extraídos do arquivo da televisão cipriota.

Chipre e as ilhas gregas do Egeu criaram uma base de dados com mais de 10 mil documentos históricos acessíveis ao público.

"O nosso arquivo é único. Fomos a única estação de rádio e televisão de 1957 a 1992. Por isso, tentémos digitalizar esses conteúdos. É muito importante para a nossa sociedade. É uma parte da história europeia", disse à euronews Thanasis Tsokos, Diretor-Geral da CyBC.

A estação de rádio e televisão cipriota forneceu centenas de documentos audiovisuais que datam de 1950 aos anos 90 do século XX, sobre uma grande variedade de temas.

Um verdadeiro processo arqueológico

A iniciativa é um projeto conjunto da Cyprus Broadcasting Corporation, do Gabinete de Imprensa e Informação e da Agência de Desenvolvimento Regional do Egeu do Sul.

O trabaho de seleção, restauro e documentação dos materiais foi feito por 27 trabalhadores.

"Primeiro, tivemos de reparar e digitalizar os ficheiros. E depois foi preciso identificar as pessoas nas fotografias, nos documentários, na rádio", explicou Thanasis Tsokos.

Atualmente, a plataforma digital Herodotus alberga 20% dos arquivos da televisão nacional.  

"A escolha do material não foi uma tarefa fácil. Tivemos de selecionar quatrocentas horas de material, a partir de um total de duas mil e quinhentas horas”, contou Fivia Savva, gestora de projeto europeu Herodotus II.

O financiamento da UE

O projeto custou 1 milhão de euros. 85% do orçamento foi financiado pela União Europeia e 15% pelos governos cipriota e grego.

Mais de meio milhão de páginas de jornais locais foram digitalizadas e integradas na base de dados de acesso livre.

A história de Chipre e da região do Egeu suscita interesse. Até à data, 330 mil utilizadores de 70 países visitaram a plataforma concebida para ser facilmente acessível.

Os alunos de uma Escola de Surdos de Nicósia estão a usar os documentos do site para realizar um documentário sobre a história local. 

Partilhe esta notícia

Notícias relacionadas

Cidade húngara de Szeged implementa maior sistema geotérmico da UE

Antiga estação do Arco do Cego em Lisboa torna-se pólo de conhecimento aberto à sociedade