EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Agências da UE sugerem maior vigilância da gripe das aves

As autoridades sanitárias e de segurança alimentar recomendam o reforço da vigilância da gripe aviária.
As autoridades sanitárias e de segurança alimentar recomendam o reforço da vigilância da gripe aviária. Direitos de autor Copyright 2017 The Associated Press. All rights reserved.
Direitos de autor Copyright 2017 The Associated Press. All rights reserved.
De  Marta Iraola Iribarren
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

Embora não existam casos confirmados de gripe das aves na União Europeia, agências da UE recomentam uma maior vigilância desta doença, devido às migrações das aves após o verão.

PUBLICIDADE

"Há razões para uma maior sensibilização, mas não para uma maior preocupação", disse Pamela Rendi-Wagner, diretora do Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC), numa declaração enviada à imprensa, acrescentando que é importante mantermo-nos alerta e proativos, uma vez que "esta ameaça à saúde humana não deve ser subestimada".

Embora tenham sido detetados vários surtos de gripe das aves em explorações agrícolas em todo o mundo - com relatos recentes provenientes de explorações agrícolas nos Estados Unidos - a transmissão aos seres humanos continua a ser rara e limitada às pessoas que mantêm um contacto próximo com animais infetados e espaços contaminados.

A gripe das aves é uma doença viral altamente contagiosa que afeta, principalmente, aves de capoeira e aves aquáticas selvagens. Pode ser altamente ou pouco patogénica (HPAI/LPAI), dependendo da sua capacidade de causar uma doença grave ou mortalidade no organismo hospedeiro.

A HPAI [Highly pathogenic avian influenza] é fatal para as aves de capoeira domésticas e pode dizimar bandos inteiros numa questão de dias, ao passo que as estirpes de LPAI [Low pathogenicity avian influenza] causam normalmente poucos ou nenhuns sinais de doença.

Foi registado um aumento de espécies afetadas pela gripe das aves

A Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA na sigla original) informou que a epidemia de HPAI foi mais observada em termos de propagação geográfica dos surtos de aves de capoeira e do número de aves selvagens mortas. A agência registou igualmente um aumento do leque de espécies afetadas pelo vírus.

De acordo com os últimos dados disponíveis a 20 de junho, foram notificados 14 novos casos de infeção por gripe das aves em humanos, nomeadamente na Austrália, China, Índia, México, Estados Unidos e Vietname. De acordo com os relatórios, a maioria destas pessoas foram expostas a aves de capoeira.

Tanto o ECDC como a EFSA (European Food Safety Authority) sublinham que, apesar destas infeções em pessoas - nenhuma delas na União Europeia até à data -, não foi registada qualquer transmissão entre humanos.

No entanto, as agências alertam para o facto de ser provável que continue a haver transmissão esporádica para os seres humanos entre as pessoas expostas a animais infetados se não for utilizado equipamento de proteção adequado.

Com base nestes dados, o ECDC emitiu recomendações para aumentar a vigilância e o controlo de possíveis casos. Recomendou, por exemplo, a redução do limiar para a realização de testes à gripe das aves em seres humanos, incluindo a utilização de uma abordagem baseada no risco para indivíduos assintomáticos expostos e a realização de testes à gripe em qualquer doente admitido no hospital com sintomas compatíveis com a infeção.

Em junho, a Comissão Europeia adquiriu 665.000 doses de vacina contra a gripe das aves que poderão ser utilizadas nos próximos quatro anos. As primeiras remessas de vacinas foram enviadas para a Finlândia para vacinação imediata dos trabalhadores em risco de exposição, entre eles os trabalhadores das explorações avícolas e os veterinários.

A gripe das aves pode ser transmitida dos animais para os seres humanos principalmente de duas formas: através do contacto direto com aves infetadas ou através de um hospedeiro intermediário, como porcos, vacas, raposas ou, por vezes, gatos que vivem em explorações agrícolas.

A Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos informou que não há provas de que a gripe das aves possa ser transmitida aos seres humanos através do consumo de produtos de aves de capoeira contaminados.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Agência de saúde da UE alerta para o aumento das doenças evitáveis por vacinação

Registados surtos de sarna e aumento de doenças respiratórias entre requerentes de asilo em Dublin

Surto de gripe das aves causa desastre de vida selvagem em Israel