Vídeo

euronews_icons_loading
Alunas da Ballet Manguinhos no Rio de Janeiro

Escola de ballet em favela do Rio pede ajuda para sobreviver

Escola de ballet numa das favelas do Rio de Janeiro está em risco de fechar devido à falta de financiamento.

Quatro centenas de alunos, com idades entre os 6 e os 29 anos, têm aulas de dança gratuitas na escola de Manguinhos, na zona norte da "cidade maravilhosa" e há mais 700, a maioria meninas, em lista de espera para entrar neste "oásis" numa favela conhecida pelo tráfico de droga e onde são frequentes as operações policiais e os tiroteios.

A escola de ballet de Manguinhos sofreu um forte revés durante a pandemia quando a fundadora da associação que a suporta, Daiana Ferreira, morreu em janeiro de 2021, com Covid-19.

A associação tinha a fundação norte-americana "The Secular Society" como patrocinador, que desde 2018 doava cerca de 8,1 mil euros por mês, mas o contrato era de três anos, terminou e deixou a instituição tem agora de encontrar forma de suportar despesas, incluindo os salários de cerca de 154 funcionários, incluindo professores, com um orçamento de apenas 1.800 euros.

Para tentar recolher mais fundos, a Ballet Manguinhos lançou a campanha "Adote uma Bailarina" e cada aderente contribui com cerca de 16 euros por mês, o custo estimado de cada aluno tendo em consideração o pagamento de professores e a aquisição de sapatilhas de ballet.