Última hora
This content is not available in your region

EUA celebram "Juneteenth

euronews_icons_loading
EUA celebram "Juneteenth
Direitos de autor  LM Otero/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

Os Estados Unidos da América celebraram, esta sexta-feira (19 de junho), o "Juneteenth" ou o Dia da Emancipação.

A efeméride assinala o fim da escravatura no país, que ocorreu 1865 quando as tropas da União, comandadas pelo general Gordon Granger , chegaram a Galveston, no Texas com a notícia de que o Presidente Abraham Lincoln havia abolido a escravatura, dois anos antes.

Embora não seja um feriado nacional, a efeméride foi celebrada um pouco por todo o país com manifestações e celebrações.

O Governador de Nova Iorque declarou feriado para os trabalhadores públicos.

As celebrações deste ano ocorrem num contexto de forte contestação no país. Nas últimas semanas, foram várias as manifestações contra o racismo e a violência policial organizadas pelo movimento Black Lives Matter, depois de um polícia ter assassinado George Floyd.

Em várias cidades do país, em especial nos estados do sul, várias estátuas de confederados foram vandalizadas ou removidas.

A presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, ordenou que fossem retirados os retratos de quatro antigos congressistas que serviram na confederação.

O presidente Donald Trump afirmou que foi ele que tornou o "Juneteenth" famoso depois de ter reagendado um comício em Tulsa, no estado do Oklahoma, que devia ocorrer esta sexta-feira.