Última hora
This content is not available in your region

Arménia admite hipótese de cessar-fogo

euronews_icons_loading
Arménia admite hipótese de cessar-fogo
Direitos de autor  AP Photo
Tamanho do texto Aa Aa

O regresso dos combates à região do Nagorno-Karabakh tem gerado amplos receios de um conflito regional. Após sucessivos apelos internacionais, a Arménia dá agora um passo no sentido do apaziguamento.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros arménio publicou um comunicado a abrir a porta a um cessar-fogo no âmbito do diálogo com o Grupo de Minsk e com base nos acordos de 1994-95.

Do lado do Azerbaijão, só há uma solução para o território do Nagorno-Karabakh, controlado por forças militares arménias.

"Se a Arménia quiser terminar com a escalada da situação, tem a bola do seu lado: tem de acabar com a ocupação daquele território. Já chega", declarou Hikmet Hajiyev, Conselheiro dos Assuntos Externos da Presidência do Azerbaijão.

França, Estados Unidos e Rússia são os países que encabeçam o chamado Grupo de Minsk, criado pela Organização para a Segurança e Cooperação na Europa para resolver o conflito no início da década de 90.

Ambos os lados reportam dezenas de vítimas mortais desde o reacender dos confrontos. Erevan acusa Baku de levar a cabos ataques contra Stepanakert, a capital do Nagorno-Karabakh.

Os responsáveis azeris falam numa série de ofensivas em, pelo menos, três regiões. E a Turquia continua a destacar-se no apoio à causa do Azerbaijão.