EventsEventosPodcast
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Agricultores franceses a contas com a seca

Seca acontece na altura da formação dos grãos de trigo
Seca acontece na altura da formação dos grãos de trigo Direitos de autor Captura de ecrã/AFP
Direitos de autor Captura de ecrã/AFP
De  Ricardo Figueira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Muitos têm de escolher usar a pouca água que resta para o trigo ou poupá-la para o milho.

PUBLICIDADE

A seca em França está a trocar as contas aos cultivadores de cereais. Em zonas como o Vale do Loire, no centro do país, a situação está a ser particularmente severa e obriga os agricultores a fazer escolhas. Por exemplo, utilizar a pouca água existente para o trigo ou guardá-la para o milho, mais tarde.

"Estamos na época da formação dos grãos de trigo. Os grãos estão ainda vazios, por isso regamo-los, na esperança que se eles se formem e aguentem até à colheita. Agora, não consigo sequer agarrar a terra, parece betão, está seca, sem nenhuma frescura. Sem água, não podemos fazer nada com este trigo, este ano", diz Robin Lachaux, agricultor.

A irrigação deste terreno é um processo que decorre 24 horas por dia e tem de ser repetido ao longo de cinco dias. Para isso, Robin vai ter de ir às reservas de água, que podem esgotar-se antes de agosto, se a situação continuar como está. Segundo a Meteo France, instituto meteorológico francês, a precipitação desceu em 20% desde setembro. Uma situação que se agravou com a chegada da primavera: Nos meses de fevereiro e março, o défice de precipitação foi de 20% e 30% em relação a setembro.

Segundo a Meteo France, os níveis de seca atuais, na região PACA, são comparáveis aos que se costumam encontrar em meados de junho.

Vários departamentos franceses, nomeadamente nas regiões da Bretanha e de Provence-Alpes-Côte d'Azur (PACA), já instituiram restrições ao uso da água, para evitar que se desperdice a que resta. Para Robin, é tudo uma questão de gestão.

"No inverno, temos água em demasia e no verão temos escassez. Num ano, as quantidades são as mesmas, mas a amplitude é cada vez maior, temos três meses de chuva e depois três meses de seca. Se não armazenarmos, durante os períodos húmidos, a água que vamos poder utilizar nos períodos de seca, então não vamos conseguir".

Se não armazenarmos, durante os períodos húmidos, a água que vamos poder utilizar nos períodos de seca, então não vamos conseguir
Robin Lachaux
Agricultor

França está a viver um período de calor pouco habitual nesta altura do ano, que deve durar pelo menos até meados da próxima semana. As previsões para o verão são de seca e calor.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Seca e temperaturas altas afetam a agricultura romena

Ano mais seco desde 1931 está a prejudicar produção de cereais em Portugal

Seca assola Itália