Ataque em Dnipro é "pura atrocidade", diz Zelenskyy

Edifícios em chamas, após os ataques com mísseis balísticos russos em Dnipro, na Ucrânia.
Edifícios em chamas, após os ataques com mísseis balísticos russos em Dnipro, na Ucrânia. Direitos de autor AFP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A escalada da guerra, com chuvas de mísseis russos em cidades ucranianas, está a cobrar muitas vítimas inocentes, como o que aconteceu numa clínica de saúde mental em Dnipro.

PUBLICIDADE

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskyy, expressou na sexta-feira as suas condolências às famílias das vítimas do ataque russo a um hospital em Dnipro, que matou duas pessoas e feriu mais de 30, incluindo duas crianças.

Zelenskyy afirmou: "Durante o dia, recebi informações sobre a situação na cidade de Dnipro e a eliminação das consequências de outro ataque. É uma pura atrocidade: um míssil russo, balístico, contra um hospital e uma clínica veterinária. Criaturas absolutamente doentias".

O míssil atingiu uma clínica que oferecia serviços de saúde mental.

Mykhailo Podolyak, o conselheiro do presidente, diz que "a Rússia está condenada a perder a guerra", mas quanto mais temposta durar, maior será o número de civis mortos. "Os últimos ataques em Dnipro mostram que os russos estão apenas a tentar matar o máximo de pessoas possível, só porque podem", afirmou.

Uma salva de mísseis dirigidos a Kiev foi lançada por aviões russos na madrugada de sexta-feira, naquele que será o 13º ataque à cidade este mês. Segundo a defesa aérea ucraniana, foram todos intercetados.

A defesa aérea ucraniana também afirmou ter abatido 25 dos 31 drones Shahed de concepção iraniana apontados a Kiev.

A cerca de 140 km a norte de Dnipro, um míssil russo S-300 atingiu uma barragem no distrito de Karlivka, na província de Donetsk, colocando a população em risco de graves inundações.

Na Rússia, as autoridades locais disseram que os drones causaram uma explosão na sexta-feira que danificou um edifício residencial e um edifício de escritórios na cidade de Krasnodar, no sul do país, a leste da Crimeia.

A Rússia diz que a Ucrânia bombardeou áreas fronteiriças da província de Belgorod, região que foi alvo de um ataque esta semana por grupos rebeldes russos baseados na Ucrânia.

O antigo presidente russo, Dmitry Medvedev,  - atual vice-presidente do Conselho de Segurança da Rússia - afirmou que as negociações com a Ucrânia são impossíveis enquanto Zelenskyy estiver no poder.

"Este conflito vai durar muito tempo. Durante décadas, provavelmente.", disse, acrescentando: "Tudo acaba sempre em negociações, o que é inevitável, mas enquanto estas pessoas estiverem no poder, a situação em termos de negociações não muda para a Rússia".

Já este sábado, o presidente Zelenskyy publicou o seguinte twitter

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Roberta Metsola participa no Fórum sobre Segurança Europeia

Míssil russo atinge clínica em Dnipro

Fortes ataques russos matam dezenas de pessoas em Uman e Dnipro