EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Rússia ataca leste da Ucrânia antes de novas sanções de Bruxelas

Rússia atingiu hospital e várias casas em bombardeamento a Kherson, Ucrânia
Rússia atingiu hospital e várias casas em bombardeamento a Kherson, Ucrânia Direitos de autor ANATOLII STEPANOV/AFP or licensors
Direitos de autor ANATOLII STEPANOV/AFP or licensors
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Três pessoas morreram em bombardeamentos a Kherson. Bruxelas vai atrás dos diamantes e petróleo russos, no próximo pacote de sanções a Moscovo.

PUBLICIDADE

Três pessoas morreram e mais de uma dezena ficaram feridas na sequência de um bombardeamento russo ter atingido, esta segunda-feira, um hospital e várias casas na cidade de Kherson, no sul da Ucrânia.

Com o inverno à porta e a perspetiva de mais bombardeamentos, Kiev começa já em dezembro as negociações para a adesão à União Europeia. O ministro ucraniano dos Negócios Estrangeiros, Dmytro Kuleba, apelou a um aumento da ajuda militar e maior celeridade na implementação do 12.° pacote de sanções à Rússia.

Bruxelas diz estar a preparar os "últimos pormenores" de uma proposta, que pretende penalizar a exportação de diamantes e voltar a restringir o limite do preço do petróleo russo.

Também a Alemanha respondeu ao apelo com a promessa de um aumento da ajuda, que, de acordo com a ministra dos Negócios Estrangeiros, Annalena Baerbock, será "massivamente alargada".

O apoio da União Europeia à Ucrânia pode, no entanto, vir a ser comprometida por Budapeste. A Hungria já afirmou a intenção de bloquear a próxima tranche de ajuda militar.

Segundo o governo de Viktor Orbán o financiamento de armas para a Ucrânia estará de fora da mesa até Kiev retirar o OTP, o maior banco húngaro, e outras firmas do país da lista negra de empresas que apoiam a Rússia e estão submetidas a sanções.

A Hungria está a preparar a presidência rotativa da União Europeia (UE), prevista para o segundo semestre de 2024, apesar da oposição do Parlamento Europeu.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Bombardeamento russo faz pelo menos três mortos em Kherson

Kiev consolida posição a Leste do rio Dnipro

Luz verde para abertura de negociações de adesão à UE com Ucrânia e Moldova