Alemanha volta a abrir centrais a carvão mas não descura a transição energética

Central de energia elétrica
Central de energia elétrica Direitos de autor Michael Probst/Copyright 2022 The AP. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A Alemanha garante que está no caminho certo para a transição energética mas, de forma a reduzir a dependência do gás russo, voltou a abrir centrais a carvão para produzir energia para o inverno.

PUBLICIDADE

O governo alemão reafirmou o seu compromisso com a transição energética e diz que está no caminho certo para eliminar emissões de gases de efeito de estufa, apesar da reabertura temporária das centrais de carvão, especialmente as centrais de lenhite. Em 2023, aproximadamente 60% da energia produzida no país é proveniente de fontes renováveis.

Para os especialistas, a decisão do governo é a correta desde que seja mesmo uma solução a curto prazo. “A Alemanha está num bom caminho quando se trata de fornecer energia a partir de fontes renováveis. Estou certo de que estas centrais de lenhite serão encerradas e desativadas para sempre a partir de março. Aliás, qualquer outra abordagem não seria razoável, para além de que legalmente não poderia ser aprovada”, defende Karsten Smid, da Greenpeace Alemenha.

Rene Schuster, perito ambiental da Grune Liga, destaca os impactos negativos na qualidade da água causados pela exploração mineira, salientando a necessidade urgente de reabilitar essas áreas: a localidade de Horno, um dos municípios do estado alemão de Brandemburgo, tinha 300 habitantes. Quando a exploração de lenhite teve início, toda a área teve de ser evacuada devido à poluição atmosférica.

O antigo autarca de Horno, Bernd Siegert, defende que, depois das dificuldades a que assistiu no município, é necessário encerrar definitivamente as centrais de lenhite. “Imagine-se um camião das mudanças. Arruma tudo e depois vai embora. Passados uns dias, quando regressa, tudo o que resta daquela casa são apenas ruínas. Foi tudo pelo ar. Só restam cinzas”, compara o ex-autarca.

A perspetiva do governo alemão é encerrar as centrais de lenhite até março de 2024.

Recorde-se que, desde a invasão da Ucrânia pela Rússia, a Alemanha, tal como outros países europeus, tem procurado soluções para reduzir a dependência do gás russo e explorar alternativas mais sustentáveis. O acordo recentemente alcançado na COP28 prevê que as nações abandonem os combustíveis fósseis e tripliquem as suas fontes de energia renovável

Em vista com a COP28, 200 países, incluindo a Alemanha, concordaram em deixar de utilizar os combustíveis fósseis e, até 2030, todos os países deverão triplicar as suas fontes de energia renovável.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

A COP28 chega a um acordo "histórico" para abandonar os combustíveis fósseis: Quais são as principais conclusões?

UE quer promover energia eólica e afastar concorrência da China

Alemanha é a grande economia desenvolvida com o pior desempenho do mundo