EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Solo treme mais do que o habitual em Campi Flegrei, região vulcânica perto de Nápoles

Solo treme mais do que o habitual em Campi Flegrei, região vulcânica perto de Nápoles
Direitos de autor euronews
Direitos de autor euronews
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Nos últimos meses, o solo tem tremido mais do que o habitual em Campi Flegrei, uma região vulcânica perto de Nápoles, no Sul de Itália.

PUBLICIDADE

A cidade de Pozzuoli, perto de Nápoles, do Monte Vesúvio e de Pompeia, está situada numa enorme caldeira magmática que, ao longo de milénios, criou uma paisagem vulcânica conhecida como Campi Flegrei.

Ultimamente, esta geologia instável tem provocado milhares de pequenos terramotos.

Alguns residentes mostraram-se preocupados, outros dizem que estão tranquilos.

Os cientistas monitorizam a situação e as autoridades afirmam que estão a trabalhar para se prepararem para um eventual incidente. 

O nosso repórter Julián López viajou até ao coração da região afetada para conhecer os vários pontos de vista sobre a questão.

Os cientistas do Osservatorio Vesuviano do Instituto Italiano de Geofísica e Vulcanologia são responsáveis pela monitorização do interior de uma cratera cujas emissões de gás parecem particularmente intensas.

"Estes são os pontos onde há emissões de gás vindas das profundezas", disse Mauro Antonio Di Vito, diretor do Instituto. "Observar e compreender como estas emissões mudam ao longo do tempo é importante para caraterizar o que está a acontecer nas profundezas da câmara magmática".

Atividade sismíca monitorizada em tempo real

Os dados em tempo real das emissões de gases, da atividade sísmica ou das temperaturas do solo e do ar são monitorizados 24 horas por dia, a partir de uma enorme sala de controlo na sede do Instituto.

"Em setembro, tivemos mais de 1000 sismos num mês. Claro que a maioria dos sismos são de magnitude muito baixa, com alguns eventos que atingiram magnitudes de 3,8, ou 4,0, até mesmo 4,2. Atualmente, o processo abrandou. Mas sabemos que isso pode mudar. Resta-nos continuar a monitorizar a zona com a máxima atenção", afirmou Di Vito.

Historicamente propensa a erupções, a área apresenta uma caraterística geológica conhecida como "bradisseísmo". Empurrado pelo magma e pelos gases, o solo move-se para cima e para baixo, como se estivesse a respirar.

Estes movimentos traduzem-se, por vezes, em tremores potencialmente perigosos para os edifícios e para as pessoas. Um dos bairros de Pozzuoli foi evacuado em 1970 durante uma dessas crises. Desde então, foi parcialmente reconstruído, mas já não é habitado.

Clique no vídeo para ver a reportagem completa.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

A pizza napolitana já tem três séculos e quem a faz diz que é a melhor

Dezenas de manifestantes anti-NATO entram em confronto com a polícia em Nápoles

Inteligência artificial revela textos com quase 2000 anos