EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Israelitas em protesto em Jerusalém para exigir eleições e libertação dos reféns

Protestos acabaram em confrontos entre a polícia e manifestantes
Protestos acabaram em confrontos entre a polícia e manifestantes Direitos de autor Ohad Zwigenberg/Copyright 2024 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor Ohad Zwigenberg/Copyright 2024 The AP. All rights reserved.
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

No mesmo dia em que Netanyahu dissolveu o gabinete de guerra, milhares de israelitas reuniram-se em protestos para exigir eleições e a libertação dos reféns.

PUBLICIDADE

Os protestos contra o governo de Benjamin Netanyahu em Jerusalém prosseguem com os manifestantes a exigirem eleições antecipadas e um acordo para trazer para casa os reféns israelitas que permanecem em cativeiro em Gaza.

De acordo com a imprensa local, 100 mil pessoas mobilizaram-se perto da casa do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, com o protesto a ser marcado por confrontos entre a polícia e manifestantes.

Mais de 100 reféns foram libertados durante um cessar-fogo de uma semana entre Israel e o Hamas em novembro do ano passado, mas desde então os acordos para tréguas humanitárias não têm surtido efeito.

Na segunda-feira o primeiro-ministro israelita decidiu dissolver o gabinete de guerra, após a saída de Benny Gantz, ex-chefe militar que discordou da forma como Netanyahu está a gerir a guerra com o Hamas.

Gadi Eisenkot, ex-chefe do exército israelita, também abandonou o gabinete de guerra devido a divergências com o primeiro-ministro.

Estas movimentações deixaram Netanyahu mais dependente dos seus aliados ultranacionalistas, que se opõem a um cessar-fogo, algo que, por sua vez, poderá representar um desafio adicional às negociações já frágeis para acabar com a guerra de oito meses em Gaza.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Tribunal proíbe israelitas de participarem em exposição de armas em Paris

Primeiro-ministro israelita dissolve gabinete de guerra

Forças israelitas anunciam "pausa tática" nos combates para permitir a passagem de ajuda