EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

A vida fora da rede pode parecer fácil no Instagram, mas o final trágico desta família conta uma história diferente

Sally e Robert McCracken relaxam no seu parque de campismo Tentrr em Sand Lake, N.Y.
Sally e Robert McCracken relaxam no seu parque de campismo Tentrr em Sand Lake, N.Y. Direitos de autor AP Photo
Direitos de autor AP Photo
De  Ruth Wright com AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

Foi relatado que a família tinha visto tutoriais no YouTube para se preparar para viver na natureza.

PUBLICIDADE

No início deste mês, um caminhante solitário perto do Gold Creek Campground fez a terrível descoberta dos corpos de Rebecca Vance, 42 anos, do seu filho de 14 anos e da sua irmã, Christine Vance, 41 anos, todos residentes em Colorado Springs.

Os restos mortais mumificados de uma família que tentou viver fora da rede foram descobertos em julho na Floresta Nacional de Gunnison, no Colorado. De acordo com a NBC News, a família teria confiado apenas em vídeos do YouTube.

É uma triste lição sobre os perigos de uma vida selvagem sem preparação.

A pandemia inspirou a vida fora da rede

De acordo com a sua meia-irmã, Trevala Jara, Rebecca Vance ficou preocupada com o estado do mundo durante a pandemia da COVID-19. Por isso, decidiu levar o filho e viver na natureza.

A família baseou-se exclusivamente em pesquisas online e vídeos do YouTube para se preparar para a sua nova vida, apesar de os membros da família tentarem impedi-los e chamarem a atenção para a sua falta de experiência de sobrevivência.

Acreditando que a sua presença poderia ajudá-los a manterem-se vivos, a irmã de Rebecca, Christine, decidiu juntar-se à irmã e ao sobrinho.

Jara ofereceu-se para deixar o grupo testar a sua preparação na propriedade de montanha que ela e o marido possuíam, mas as irmãs insistiram que ficariam bem.

Uma mensagem de texto, perto do final de 2020, foi a última vez que alguém comunicou com o grupo, antes de o referido caminhante se deparar com um corpo no exterior de uma tenda fechada, com mais dois no interior.

Um abrigo adequado é essencial

Segundo os investigadores, a família tinha aparentemente começado a construir um abrigo do tipo "lean-to", mas não o tinha concluído antes do início do inverno. Parece claro que a tenda era a sua única forma de abrigo durante um dos invernos mais rigorosos do Colorado.

Apesar de a Internet frequentemente glamourizar a ideia de sobrevivência fora da rede, a realidade é completamente diferente. Os especialistas em vida fora da rede sugerem que se garanta um alojamento estável, um gerador e um tanque de propano. Um grande número de mantimentos é também essencial para a sobrevivência. Esta família não tinha nenhum destes objetos.

"Eles tinham muita literatura com eles sobre sobrevivência ao ar livre e forrageamento, mas parecia que eles se abasteciam em uma mercearia", disse o legista do condado de Gunnison, Michael Barnes, que determinou que a infeliz família havia morrido devido à exposição aos elementos.

Suprimentos e habilidades de sobrevivência são fundamentais para a sobrevivência fora da rede

Este trágico incidente sublinha os perigos de tentar viver fora da rede sem uma preparação adequada e sem competências de sobrevivência. Seja qual for o clima, garantir um abrigo adequado antes de partir é fundamental para a sobrevivência.

Já é suficientemente difícil passar o inverno a grande altitude numa cabana confortável com uma grande pilha de lenha, eletricidade, provisões e um camião. Estas pobres pessoas não faziam ideia do que estavam a enfrentar".

Ver um vídeo em linha é diferente de construir um abrigo seguro e quente. As redes sociais e os tutoriais em vídeo fazem com que este modo de vida pareça fácil e manejável. Mas é fundamental lembrar que a pessoa que está a construir uma cabana bonita e confortável tem uma experiência significativa. Ou o abrigo que está a construir pode estar num clima temperado com invernos amenos.

Uma pessoa compreensiva comentou: "Já é suficientemente difícil passar o inverno a grande altitude numa cabana confortável com uma grande pilha de lenha, eletricidade, provisões e um camião. Estas pobres pessoas não faziam ideia do que estavam a enfrentar".

Outro acrescentou: "Isto é tão triste. As pessoas que não cresceram na natureza não fazem ideia de como é difícil sobreviver. Os pioneiros só viviam da terra antigamente porque a caça, o peixe e a comida eram muito mais abundantes e fáceis de obter da natureza, e mesmo assim era difícil."

A comida selvagem já não é tão abundante como antigamente, mas mesmo que fosse, a menos que alguém saiba caçar, não pode simplesmente pegar numa arma e ir apanhar um veado. Curiosamente, não foram encontradas armas de fogo ou outras armas no parque de campismo, pelo que a família não tinha, evidentemente, planos para se juntar aos 35,8 milhões de pescadores ou 11,5 milhões de caçadores dos Estados Unidos para caçar o seu próprio alimento.

Mesmo que tivessem planeado caçar, isso teria exigido conhecimentos, prática e o equipamento adequado.

De acordo com a Association of Fish and Wildlife Agencies, os caçadores gastam anualmente mais de 7 mil milhões de dólares (6,7 mil milhões de euros) em equipamento para armas de fogo, munições, equipamento de tiro com arco, ótica, chamarizes e outros equipamentos essenciais, e mais 630 milhões de dólares (601 milhões de euros) em vestuário. Em 2016, o caçador médio gastou 2 363 dólares (2 256 euros) em artigos como vestuário e equipamento.

PUBLICIDADE

Que competências são necessárias para viver fora da rede?

O ideal é que as pessoas não se deixem influenciar pelas redes sociais. Devem fazer uma pesquisa independente e prepararem-se para este novo e desafiante modo de vida antes de embarcarem nele.

Aprender a vestir-se adequadamente e a evitar as carraças durante as caminhadas em zonas ricas em carraças para prevenir doenças, por exemplo, é uma competência necessária antes de partir para o mundo selvagem.

Esta descoberta horrível realça o quão essencial é estar preparado antes de tentar viver fora da rede.

Compreender o clima e o ambiente para onde se vai é fundamental, assim como garantir que se tem abrigo, combustível, comida e água. Aprender a procurar alimentos é uma ideia brilhante, mas as pessoas precisam de aprender primeiro a fazê-lo num local quente e seguro. Devem estar bem aprovisionadas antes de iniciarem a sua aventura e devem adquirir competências suplementares para o caso de os alimentos colhidos ou caçados serem escassos.

Existem outras formas de aumentar a preparação e a autossuficiência sem se afastar completamente da civilização. Aprenda a apanhar amoras e a fazer muita compota de amoras no outono para durar durante o inverno e a primavera. Junte-se aos 13% de famílias americanas que criam galinhas para comer ovos ou carne.

PUBLICIDADE

Cultive legumes biológicos tipicamente caros, como tomates ou pimentos. Aprenda a fazer fertilizante orgânico para estes produtos cultivados em casa. Instalar painéis solares, melhorar a propriedade existente e começar a ser mais autossuficiente em casa, onde existe uma rede de segurança.

Uma rede de segurança que poderia ter evitado que três vidas fossem tragicamente interrompidas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

'Liberdade individual' vs 'bem comum': Zonas de baixas emissões mostram o impacto da UE na nossa vida quotidiana

Apenas sete países respiram ar considerado limpo. Três deles situam-se na Europa

Das inundações aos incêndios: Como verificar se uma casa é resistente ao clima