EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Capital da Índia regista dia mais quente de sempre com temperaturas de quase 50ºC

Um homem bebe água numa banca à beira da estrada que serve água potável gratuita aos passageiros, numa altura em que a vaga de calor continua a assolar a capital indiana, Nova Deli.
Um homem bebe água numa banca à beira da estrada que serve água potável gratuita aos passageiros, numa altura em que a vaga de calor continua a assolar a capital indiana, Nova Deli. Direitos de autor AP Photo/Manish Swarup
Direitos de autor AP Photo/Manish Swarup
De  Rosie Frost
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

O calor intenso levou as autoridades do país a emitirem avisos sobre insolação e racionamento de água em algumas zonas.

PUBLICIDADE

Foram registadas temperaturas superiores a 50°C em partes do norte e do centro da Índia.

Na terça-feira, foi alcançado um recorde de 49,9°C nos subúrbios de Mungeshpur e Narela, na capital Deli, sendo superado o anterior máximo de 49,2°C registado em 2022. Alguns relatórios sugerem que a capital poderá ter estado ainda mais quente na tarde de quarta-feira, ultrapassando os 50ºC.

O Departamento Meteorológico da Índia (IMD) afirmou que as temperaturas foram cerca de 9ºC mais elevadas do que o esperado para esta altura do ano.

Estados do Norte da Índia como Rajasthan, Haryana, Punjab e Deli foram atingidos por um calor intenso. Na terça-feira, a cidade de Churu, no Rajastão, registou temperaturas superiores a 50,5ºC.

A cidade de Sirsa, em Haryana, atingiu 50,3ºC, com as infraestruturas energéticas a sofrerem o impacto, enquanto as pessoas tentavam manter-se frescas. Em Deli, os funcionários do departamento de eletricidade disseram também que o aumento da utilização do ar condicionado fez disparar a procura de energia para um máximo histórico.

Autoridades alertam para insolação e falta de água

O IMD alertou para o facto de o calor extremo poder ter um impacto na saúde, em especial das crianças, dos idosos e das pessoas com doenças crónicas.

O IMD advertiu que existe uma "probabilidade muito elevada" de pessoas de todas as idades desenvolverem insolação, sendo necessário um cuidado especial com as pessoas dos grupos vulneráveis.

Em Jaipur, o departamento de saúde confirmou que, até à data, se registaram quatro mortes por insolação.

O calor extremo é também acompanhado por uma grave escassez de água, sendo que dezenas de milhões de pessoas na Índia não dispõem de água corrente. Segundo Atishi Marlena Singh, uma ministra sénior do governo da cidade, algumas zonas de Deli têm tido dificuldade no acesso à água, enquanto outras não têm qualquer água.

Um homem cobre o rosto com um pano para se proteger do calor enquanto anda de bicicleta numa rua movimentada de Jammu, na Índia.
Um homem cobre o rosto com um pano para se proteger do calor enquanto anda de bicicleta numa rua movimentada de Jammu, na Índia.AP Photo/Channi Anand

A "onda de calor aguda" e a falta de abastecimento de água do Estado de Haryana, no norte do país, obrigaram as autoridades a racionar a água, disse Singh numa conferência de imprensa na quarta-feira.

"Para resolver o problema da escassez de água, tomámos uma série de medidas, como a redução do abastecimento de água de duas vezes por dia para uma vez por dia em muitas áreas", disse Atishi, citada pelo Indian Express.

"A água assim poupada será racionada e fornecida às zonas com carência de água, onde o abastecimento dura apenas 15 a 20 minutos por dia", acrescentou.

Segundo o IMD, é provável que as condições de canícula e de canícula severa diminuam gradualmente a partir de 30 de maio.

As ondas de calor estão a tornar-se mais longas e mais intensas na Índia?

O serviço de meteorologia afirmou que, embora a Índia tenha frequentemente verões quentes e húmidos de março a setembro, é provável que este ano tenha ondas de calor mais longas e mais intensas.

O país está a sofrer uma onda de calor brutal há várias semanas. Os estados de Rajasthan e Gujarat registaram este mês entre nove a 12 dias de temperaturas entre os 45 e os 50 graus centígrados.

A investigação revelou que este calor se tornou mais intenso na última década devido às alterações climáticas. A vaga de calor que atingiu a Ásia em abril foi pelo menos 45 vezes mais provável devido às alterações climáticas, de acordo com o grupo académico World Weather Attribution.

Trabalhadores refugiam-se debaixo de um camião estacionado para fugir ao calor abrasador, em Guwahati, na Índia.
Trabalhadores refugiam-se debaixo de um camião estacionado para fugir ao calor abrasador, em Guwahati, na Índia.AP Photo/Anupam Nath

Os especialistas em clima também afirmam que as temperaturas na região estão, em média, cerca de 0,85ºC mais quentes. Um estudo realizado em 2023 por investigadores da Universidade de Cambridge estima que 24 mil pessoas morreram devido a vagas de calor na Índia desde 1992. Segundo estes investigadores, partes do país poderão ultrapassar os limites da capacidade de sobrevivência humana até 2050.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Os Verdes não apoiarão von der Leyen sem convite para uma grande coligação

Conferência de Bona bloqueia negociações sobre o financiamento do clima: o que é que isto significa para a COP29?

Ano de super-eleições: O que é que os candidatos no Reino Unido, nos EUA e na Austrália estão a planear para o clima?