Bruxelas recorre a celebridades para mobilizar jovens para eleições

Stromae, Rosalía e Måneskin estão entre os artistas musicais que a Comissão Europeia planeia contactar antes das eleições europeias.
Stromae, Rosalía e Måneskin estão entre os artistas musicais que a Comissão Europeia planeia contactar antes das eleições europeias. Direitos de autor Associated Press.
De  Maria PsaraJorge Liboreiro
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

A Comissão Europeia está a planear recorrer à ajuda de artistas musicais, entre outras celebridades, para mobilizar os jovens eleitores antes das eleições europeias deste ano. Rosalía, Måneskin, Angèle e Stromae estão na lista, soube a Euronews, em exclusivo.

PUBLICIDADE

Outros artistas musicais, bem como atletas e jogadores de futebol populares, serão contactados através dos seus representantes, disse um funcionário da UE com conhecimento do processo.

A seleção das celebridades nascidas na Europa tentará ter um equilíbrio geográfico para atingir o maior número possível de cidadãos dos 27 Estados-membros.

A revelação surge um dia depois de o vice-presidente da Comissão Europeia, Margaritis Schinas, ter feito um apelo inesperado à cantora norte-americana Taylor Swift para mobilizar os jovens eleitores antes das eleições para o Parlamento Europeu, previstas para 6 a 9 de junho.

"Ninguém consegue mobilizar os jovens melhor do que os jovens, é assim que funciona", disse Schinas, aos jornalistas, na quarta-feira.

"Só para vos dar um exemplo: Taylor Swift fez, em setembro passado, um apelo nas redes sociais aos jovens americanos para que se registem para votar. No dia seguinte, 35 mil jovens norte-americanos tinham-se registado para votar", afirmou, referindo-se à mensagem que Swift partilhou, no ano passado, na sua conta do Instagram, que tem mais de 270 milhões de seguidores.

A postagem, que incluía um link para o site Vote.org, foi feita durante a digressão Eras Tour, que chegará à Europa a 9 de maio. O concerto em Paris (França) acontece no Dia da Europa. Para além de França, a digressão passará por outros Estados-membros: Suécia, Portugal, Espanha, Irlanda, Países Baixos, Itália, Alemanha, Polónia e Áustria.

"A Taylor Swift vai estar na Europa em maio", disse Schinas, "por isso espero que ela faça o mesmo pelos jovens europeus e espero que alguém da sua equipa de comunicação acompanhe esta conferência de imprensa e lhe transmita este pedido", disse Schinas.

O Euractiv já tinha noticiado planos do Parlamento Europeu para obter a ajuda de celebridades antes da votação.

Objetivo elevado

Rosalía, Måneskin, Angèle e Stromae estão entre os artistas mais populares do momento, com um forte número de seguidores nas redes sociais, que Bruxelas espera que possam ser aproveitados para divulgar as eleições.

Rosalía ganhou proeminência internacional após o lançamento do seu álbum El mal querer, em 2018, uma reinvenção experimental do género flamenco que foi aclamada pela crítica. Desde então, a cantora espanhola tem continuado a expandir o seu apelo e a sua base de fãs graças ao seu álbum Motomami, que mistura géneros, e a uma digressão mundial de sucesso.

Måneskin, uma banda de rock italiana liderada por Damiano David, tornou-se um nome conhecido com a sua atuação triunfante no Festival Eurovisão da Canção de 2021. A sua canção vitoriosa "Zitti e buoni" tornou-se um clássico instantâneo do repertório do concurso e impulsionou o seu single seguinte, "I Wanna Be Your Slave", para o topo das tabelas internacionais.

Entretanto, Angèle e Stromae são, sem dúvida, as vozes mais reconhecidas da cena musical belga. O álbum de estreia de Angèle, intitulado Brol, foi um best-seller no seu país natal e em França, com a canção "Balance ton quoi" diretamente inspirada no movimento #MeToo. Um dos seus mais recentes singles, " Bruxelles je t'aime", parece ser um dos mais indicados para a campanha de divulgação.

A carreira de Stromae remonta a 2010, quando a sua canção "Alors on danse" se tornou uma sensação incontornável nas pistas de dança europeias. Até à data, o rapper e compositor publicou três álbuns de estúdio e recebeu aplausos pelas suas confissões sobre saúde mental e pensamentos suicidas.

Conseguir o apoio destes quatro artistas seria um grande impulso para a campanha europeia, que é conhecida pela sua escassez de estrelas. No entanto, não há garantias de que algum dos músicos vá atender ao apelo de Bruxelas.

A participação nas eleições para o Parlamento Europeu tem sido historicamente baixa, com profundas divergências entre os países. Em 2019, a taxa de participação foi de 50,66%, a primeira vez que ultrapassou o limiar de 50% desde 1994. De acordo com um inquérito do Eurobarómetro, o aumento deveu-se em grande parte à participação dos jovens, sendo que em cinco Estados-membros podem votar a partir dos 16 anos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Eleições UE: Comissão Europeia pede a Taylor Swift que mobilize jovens

Extrema-direita poderá subir a segunda força no Parlamento Europeu

Sondagem revela aumento do interesse pelas eleições europeias