EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Líderes da UE ainda sem acordo sobre cargos de topo

Decisão deve ser tomada na cimeira europeia ordinária da próxima semana
Decisão deve ser tomada na cimeira europeia ordinária da próxima semana Direitos de autor European Union
Direitos de autor European Union
De  Shona MurrayEuronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Encontro entre os líderes europeus que deveria servir para fechar os cargos de topo da União Europeia, na noite de segunda-feira, acabou sem acordo.

PUBLICIDADE

A Presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, parece ainda estar a caminho de um segundo mandato, embora os líderes da UE não tenham conseguido formalmente chegar a acordo sobre quem vai ocupar os cargos de topo, que devem ser decididos após as eleições para o Parlamento Europeu.

Os chefes de Estado e de Governo da UE reuniram-se em Bruxelas pela primeira vez desde as eleições para fazer um balanço dos resultados e discutir potenciais candidatos a três cargos de topo: o Presidente da Comissão Europeia, o Presidente do Conselho Europeu e o Chefe de Política Externa da UE.

António Costa, ex-primeiro-ministro de Portugal, e Kaja Kallas, primeira-ministra da Estónia, são os outros dois nomes na corrida.

O atual presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, adiantou aos jornalistas que ainda há muito mais a discutir.

"Foi uma boa conversa, vai na direção certa, mas não há acordo esta noite nesta fase. Os partidos políticos estão a desempenhar um papel nesta matéria neste momento. Eles fizeram propostas, e teremos a oportunidade nos próximos dias para trabalhar mais e preparar as decisões que precisamos de tomar", afirmou.

As expectativas de um avanço precoce na noite passada eram muito otimistas, mas Ursula von der Leyen ainda segue na "pole position" para se tornar presidente da Comissão Europeia pela segunda vez.

No entanto, as negociações serão difíceis, especialmente com os parceiros de coligação escolhidos, os Verdes e os Socialistas, que querem garantias de que está empenhada no bloco ao centro e não é tentada a avançar para a extrema-direita em direção a grupos que têm vindo a crescer em número.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Líderes da UE debatem cargos de topo e António Costa está no pacote

Von der Leyen recusa participar no debate entre líderes sobre os cargos de topo da UE

Os Verdes não apoiarão von der Leyen sem convite para uma grande coligação