EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Antigo "palácio do poder" romano reabre ao público 50 anos depois de ter sido encerrado para restauro

A Domus Tiberiana reabriu ao público em 21 de setembro.
A Domus Tiberiana reabriu ao público em 21 de setembro. Direitos de autor AP Photo/Gregorio Borgia
Direitos de autor AP Photo/Gregorio Borgia
De  Euronews Travel com AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

A Domus Tiberiana, com quase 2000 anos, foi a casa dos governantes da época imperial da cidade.

PUBLICIDADE

Um antigo palácio imperial romano no topo do Monte Palatino da cidade foi reaberto aos turistas na quinta-feira (21 de setembro), quase 50 anos após o seu encerramento para restauro.

A extensa Domus Tiberiana, com cerca de 2.000 anos, que foi a casa dos governantes no período imperial da cidade antiga, permite uma vista deslumbrante do Fórum Romano.

O público pode agora visitá-lo, após décadas de trabalhos de restauro estrutural para reforçar o palácio por razões de segurança.

As escavações revelaram artefactos de séculos de vida romana após o declínio do império.

O palácio data originalmente da era de Nero

O diretor do Parque Arqueológico do Coliseu, que inclui o Monte Palatino, numa descrição escrita do palácio restaurado, apelidou-o de "o palácio do poder por excelência".

Na véspera da reabertura, a funcionária, Alfonsina Russo, citou um poeta romano do século I, dizendo que o extenso palácio parecia "infinito" e que "a sua grandiosidade era como a grandiosidade do céu".

AP Photo/Gregorio Borgia
Um visitante caminha na recém-restaurada domus Tiberiana, um dos principais palácios imperiais.AP Photo/Gregorio Borgia

Embora a domus, ou residência, tenha o nome de Tibério, que governou o império após a morte de Augusto, estudos arqueológicos indicam que as fundações do palácio datam da era de Nero, pouco depois do incêndio de 64 d.C. que devastou grande parte da cidade.

Após o desaparecimento do Império Romano, a residência sofreu séculos de abandono, até que, nos anos 1500, a família nobre Farnese desenvolveu um extenso jardim à volta das ruínas.

AP Photo/Gregorio Borgia
Uma vista do Fórum Romano a partir de uma varanda da recém-restaurada domus Tiberiana.AP Photo/Gregorio Borgia

Graças à reabertura do palácio ao público, os visitantes podem hoje ter uma melhor ideia do caminho que os antigos imperadores e as suas cortes percorriam a caminho da domus.

Centenas de artefactos em exposição

A palavra inglesa "palatial" é inspirada na sumptuosa residência imperial no topo do Palatino, uma das sete colinas da Roma antiga.

A domus, construída na encosta noroeste da colina, é considerada o primeiro verdadeiro palácio imperial. Para além da residência do imperador, o complexo incluía jardins, locais de culto, alojamentos para a Guarda Pretoriana que protegia o governante e uma zona de serviço para os trabalhadores com vista para o Fórum Romano.

AP Photo/Gregorio Borgia
Um visitante fotografa achados arqueológicos dentro da recém-restaurada domus Tiberiana.AP Photo/Gregorio Borgia

Os trabalhos de escavação e restauro, realizados também durante a pandemia do coronavírus, quando durante meses o turismo foi reduzido ao mínimo, ajudaram os arqueólogos a juntar o que Russo chama de séculos de história num lugar que "de alguma forma ficou esquecido".

Em exposição para aqueles que visitam a domus reaberta está uma seleção de centenas de artefactos que foram encontrados, incluindo objetos em metal e vidro.

Também foram desenterradas estátuas, outras decorações e moedas antigas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Itália, Eslovénia e Croácia: Nova linha de comboio oferece uma aventura ferroviária por apenas 8 euros

Cafés na Europa estão fartos de nómadas digitais que ocupam muito espaço

Baleias, ursos, linces: conheça os projetos que permitem aos turistas encontrar a vida selvagem de forma responsável na Europa