EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

ONU culpa alterações climáticas pelo calor extremo

Várias cidades italianas estão em alerta máximo de calor
Várias cidades italianas estão em alerta máximo de calor Direitos de autor Luca Bruno/AP
Direitos de autor Luca Bruno/AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Vaga de calor fustiga países como Espanha, Itália e Grécia, mas outras regiões do globo são igualmente afetadas.

PUBLICIDADE

O Sul da Europa vive dias quentes, muito quentes. Em Espanha, os termómetros em muitas regiões ultrapassam os 30 graus de manhã cedo e os 40 graus ao meio-dia. As ondas de calor duram demasiado tempo e as pessoas já não se sabem o que fazer: "É complicado porque não nos podemos defender do calor. Contra o frio, tapamo-nos, mas contra o calor não há nada que possamos fazer", diz uma mulher,

Várias regiões espanholas estão em alerta devido a temperaturas extremas. A onda de calor deve-se, em parte, ao fenómeno El Niño, mas a Organização Meteorológica Mundial (OMM) culpa, sobretudo, as alterações climáticas.

John Nairn, especialista em tempo e clima extremos da OMM, diz: "As temperaturas globais são agora mais quentes do que eram quando aconteceu o fenómeno El Niño regressou na década de 1980. A tendência global continua a aumentar. Por isso, não sei se podemos falar de valores normais, porque as coisas vão continuar a mudar. Vai continuar a aquecer".

Itália vive também temperaturas escaldantes, por culpa de Caronte, como foi batizado o anticiclone africano que pôs em alerta vermelho de calor extremo uma dezena de cidades, incluindo Roma. A OMM acredita que a Europa pode ultrapassar nestes dias o recorde de 48,8 graus Celsius registado na Sicília em 2021.

Mas a onda de calor não se limita à Europa. A América do Norte e o norte da Ásia também estão a registar temperaturas anormalmente elevadas. Em Tóquio, ultrapassou os 37 graus Celsius e, como é tradição no Japão, as pessoas usam guarda-chuvas para se protegerem do sol. Muito poucos saem à rua sem um.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Apenas um país da UE considera que governo faz suficiente para combater crise climática

Reconhecimento do Estado palestiniano é apenas um "pequeno passo", dizem espanhóis

Noruega, Espanha e Irlanda vão reconhecer Estado palestiniano