Rússia denuncia a morte de 28 pessoas após ataque ucraniano

Ukraine
Ukraine Direitos de autor AP/Russian Emergency Ministry Press Service
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Depois de quase dois anos de guerra, tanto Moscovo como Kiev recorrem cada vez mais a ataques de longo alcance durante o Inverno, num contexto de posições praticamente inalteradas na linha da frente.

PUBLICIDADE

As autoridades russas relataram a morte de vinte e oito pessoas, incluindo uma criança, na sequência de um atentado bombista ocorrido no sábado em Lisichansk, cidade que está sob controlo russo.

As autoridades de Luhansk afirmaram que as Forças Armadas Ucranianas atacaram Lisichansk usando projéteis HIMARS. A porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros russo, Maria Zakharova, afirmou que Moscovo espera que as organizações internacionais “condenem rápida e incondicionalmente ” este ataque .

Entretanto, este domingo foi declarado dia de luto na região. Por seu lado, o Governo da Ucrânia não fez qualquer comentário sobre o incidente.

Depois de quase dois anos de guerra, tanto Moscovo como Kiev recorrem cada vez mais a ataques de longo alcance durante o Inverno, no meio de posições praticamente inalteradas numa linha da frente que se estende por 1.500 quilómetros de comprimento.

Informações gráficas sobre avanços e acusações militares

Ambas as partes relatam graficamente o seu progresso e conquistas. O Ministério da Defesa russo divulgou no domingo imagens que descrevem como um equipamento do sistema de defesa aérea Buk-M1 destruiu dois mísseis HIMARS, no distrito de South Donetsk, na chamada zona de “operação militar especial”.

Nas imagens pode ver-se um suposto “grupo de ataque da aviação do Exército atingindo posições das Forças Armadas Ucranianas no distrito de Krasny Lyman”.

Enquanto isso, Volodymyr Zelenskyy apresentou altas condecorações de Estado aos militares do Serviço de Inteligência de Defesa Ucraniano. Tropas que, segundo ele, demonstraram especial coragem durante as missões de combate, em particular, na destruição da corveta "Ivanovets" .

Dirigindo-se aos presentes na reunião, o Presidente da Ucrânia afirmou que estava satisfeito por ter a oportunidade de lhes agradecer pessoalmente, bem como a todos os membros do serviço.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Na Ucrânia, Borrell e Cravinho veem onde está a ser aplicado o dinheiro da UE

Ucrânia diz ter afundado navio de guerra russo no Mar Negro

31 000 soldados ucranianos mortos desde o início da invasão russa