EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Preços do gás natural aumentam com a explosão da inteligência artificial

Um gasoduto de gás natural da Costa Leste, muito contestado, recebeu finalmente luz verde em junho para começar a funcionar, seis anos após o início da sua construção
Um gasoduto de gás natural da Costa Leste, muito contestado, recebeu finalmente luz verde em junho para começar a funcionar, seis anos após o início da sua construção Direitos de autor HEATHER ROUSSEAU | The Roanoke Times/HEATHER ROUSSEAU | The Roanoke Times
Direitos de autor HEATHER ROUSSEAU | The Roanoke Times/HEATHER ROUSSEAU | The Roanoke Times
De  Tina Teng
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

Os preços do gás natural subiram nos últimos três meses devido a uma procura otimista, impulsionada pelo aumento do consumo de IA e pelo seu papel crucial na transição para as energias renováveis.

PUBLICIDADE

Na transição do mundo para uma pegada ambiental menos poluente, espera-se que o gás natural desempenhe um papel fundamental no apoio à procura crescente de soluções mais amigas do ambiente. Entretanto, a explosão no recurso a inteligência artificial (IA) deverá estimular a sua utilização no consumo de eletricidade. Desde meados de abril, os preços dos futuros do gás natural nos EUA subiram cerca de 62% e os futuros do gás nos Países Baixos subiram 18%, devido à intensificação das tensões geopolíticas no Médio Oriente, à redução da produção nos EUA, às perturbações no abastecimento na Noruega e às expetativas de aumento da procura.

Prevê-se que a procura de gás natural cresça

De acordo com a S&P Global Commodity Insights, "a procura global de energia aumentará um terço nos próximos dez anos, incluindo a procura de centros de dados" e "o gás natural desempenhará um papel importante como fonte de energia de base". Prevê-se que o gás natural acrescente 47 gigawatts por ano no período entre 2024 e 2035.

Algumas fontes indicaram que a procura de gás aumentará particularmente nos mercados emergentes da Ásia devido ao crescimento da população, ao desenvolvimento industrial e à mudança para a descarbonização dos combustíveis fósseis até ao final deste século. Embora o aumento dos investimentos em GNL venha a impulsionar a oferta a curto prazo, serão necessários novos projetos para satisfazer a procura a longo prazo.

O número de veículos pesados de mercadorias alimentados a GNL na China aumentou 459% nos primeiros quatro meses deste ano, em comparação com o mesmo período de 2023, devido aos custos mais baixos do gás natural e à sua menor pegada de carbono em comparação com o petróleo, com base nos dados da Bloomberg. Em março, o Instituto de Investigação Económica e Tecnológica da China National Petroleum Corporation previu que os veículos eléctricos e os camiões movidos a GNL substituiriam cerca de 10% a 12% do consumo de gasóleo e gasolina na China este ano.

Os analistas da Wells Fargo prevêem que a procura de eletricidade nos EUA cresça até 20% até 2030, impulsionada pelas crescentes necessidades de energia da IA. Prevê-se que a infraestrutura dos centros de dados de IA venha a aumentar a procura de eletricidade em 323 terawatts-hora, sete vezes mais do que o atual consumo anual da cidade de Nova Iorque.

As grandes empresas tecnológicas, incluindo a Amazon, a Alphabet, a Microsoft e a Meta, estão a prosperar em infraestruturas de centros de dados, o que exige um enorme consumo de energia. No entanto, as energias renováveis, por si só, não serão capazes de satisfazer a procura crescente dos últimos anos, tornando o gás natural uma fonte essencial de fornecimento de eletricidade. De acordo com a Goldman Sachs, o gás natural poderá fornecer 60% da energia necessária para a IA, sendo o restante assegurado pelas energias renováveis.

Uma crise de abastecimento a curto prazo

Do lado da oferta, as interrupções de produção na Noruega e a redução da produção nos EUA também contribuíram para o aumento do preço do gás natural nos últimos meses.

No início de junho, os futuros do gás neerlandês subiram para 36,01 euros por megawatt-hora, o valor mais elevado desde dezembro de 2023, devido a uma paragem na fábrica de processamento de gás de Nyhamna, na Noruega. Desde o início da guerra entre a Ucrânia e a Rússia, a Noruega e os Estados Unidos ultrapassaram a Rússia como principais fornecedores de gás natural à Europa. Em 2023, a Noruega representava 30% e os EUA 19% do abastecimento de gás na UE. Entretanto, o fornecimento de GNL da Rússia também aumentou para 16%, um aumento de 40% em relação a 2021. A dependência das importações de gás apresenta riscos significativos para a região, embora um quarto destes fornecimentos tenha sido transferido para a Ásia.

Do outro lado do Atlântico, a produção de gás dos EUA caiu cerca de 9% em 2024 devido à redução das atividades de perfuração e ao atraso nos projetos de poços. A produção de gás diminuiu para uma média de 96,9 mil milhões de pés cúbicos por dia em maio, contra 98,1 mil milhões de pés cúbicos por dia em abril.

Olhando para o futuro, um verão quente no Hemisfério Norte poderá conduzir a um novo aumento da procura devido à procura de arrefecimento nos lares e aos preparativos antecipados nas instalações industriais. Apesar do recuo dos preços na última semana, o gás natural ainda pode sofrer pressões de alta nos próximos meses.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

"Não sei como vamos sobreviver a este inverno" - Reconstrução da Ucrânia centrada na energia

É provável que os preços do café continuem a subir devido às "terríveis" regras da UE

Mercados recuperam na expectativa de que a extrema-direita não vencerá segunda volta em França