EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Portugal vai começar a construir o seu maior parque eólico no início do próximo ano

Associação Americana de Energia Pública
Associação Americana de Energia Pública Direitos de autor The wind farm will be incorporated into the Tâmega hydropower complex, one of the largest hydroelectric projects completed in Europe in the last 25 years.
Direitos de autor The wind farm will be incorporated into the Tâmega hydropower complex, one of the largest hydroelectric projects completed in Europe in the last 25 years.
De  Rebecca Ann Hughes
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

O parque eólico será integrado no complexo hidroelétrico do Tâmega, um dos maiores projetos hidroelétricos realizados na Europa nos últimos 25 anos.

PUBLICIDADE

Portugal obteve a aprovação ambiental do Governo para um novo parque eólico e , uma vez construído, tornar-se-á o maior do país.

A empresa de energias renováveis Iberdrola integrará a central no Sistema Eletroprodutor do Tâmega (SET), no norte de Portugal.

O novo parque eólico terá uma capacidade de 274 megawatt (MW), capaz de suportar o consumo anual de 128 mil habitações.

A Iberdrola afirma que irá adotar uma série de medidas para salvaguardar o ambiente em torno da nova central.

O maior parque eólico de Portugal recebe luz verde

A Iberdrola obteve a segunda, e última, licença ambiental para o projeto Tâmega Eólico, conhecida como Decisão de Conformidade Ambiental do Projeto de Execução (DCAPE).

O passo seguinte será o pedido de licença de produção à Direção-Geral de Energia e Geologia de Portugal. O objetivo da Iberdrola é dar início aos trabalhos em 2025.

O parque eólico utilizará a mesma ligação à rede que o complexo hidroelétrico de acumulação por bombagem do Tâmega, maximizando a capacidade do ponto de ligação.

"As duas tecnologias complementar-se-ão para maximizar o rendimento e a produção, optimizando a infraestrutura elétrica", afirmou a empresa num comunicado de imprensa.

O impacto ambiental do maior parque eólico de Portugal

A Central utilizará as mesmas estradas e instalações já utilizadas no complexo do Tâmega, minimizando o seu impacto ambiental.

A Iberdrola afirma também que irá implementar uma série de medidas para apoiar os ecossistemas na localização do parque eólico, algumas delas já em curso no Complexo do Tâmega, como a plantação de espécies nativas e a gestão florestal.

A vida selvagem também será apoiada através da plantação de árvores de fruto, da recuperação de lagoas e da instalação de caixas-ninho para morcegos.

A empresa introduzirá uma série de Programas de Monitorização de Sistemas Ecológicos para animais como os morcegos e os lobos, bem como para plantas e habitats naturais.

Portugal tem uma das maiores centrais hidroeléctricas da Europa

O projeto hidroelétrico do Tâmega é um dos maiores projetos hidroelétricos concluídos na Europa nos últimos 25 anos.

É constituído por três centrais: a Central Hidroelétrica do Alto Tâmega, com uma potência instalada de 160 MW, a Central de Armazenamento por Bombagem de Gouvães (880 MW) e a Central de Daivões (118 MW), estas duas últimas em funcionamento desde 2022.

O complexo tem capacidade para produzir 1.766 GWh por ano, o suficiente para satisfazer as necessidades energéticas dos municípios vizinhos e das cidades de Braga e Guimarães (440.000 habitações).

Tem também uma capacidade de armazenamento de 40 milhões de kWh, o equivalente à energia consumida por 11 milhões de pessoas durante 24 horas nas suas casas.

Atualmente, o Tâmega evita a emissão de 1,2 milhões de toneladas de CO2 por ano, bem como a importação de mais de 160 mil toneladas de petróleo anuais.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Produção de cereais em França afetada pelas alterações climáticas

Novo governo britânico levanta proibição da energia eólica em terra

Quem é Marine Tondelier? Conheça a líder dos Verdes que inspirou a França a votar contra a extrema-direita