EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Sobre carris: Qual é o país da Europa onde se viaja mais de comboio?

A Suíça tem
A Suíça tem Direitos de autor Canva
Direitos de autor Canva
De  Servet Yanatma
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

Os transportes públicos têm um grande potencial de redução do consumo de energia.

PUBLICIDADE

Aumentar a utilização dos transportes públicos e minimizar a dependência do automóvel são duas formas importantes de ajudar a Europa a atingir os seus objetivos ambiciosos em matéria de clima e de poupança de energia. No centro de ambos os objectivos estão os caminhos-de-ferro do continente.

Os serviços de transporte ferroviário de passageiros e as taxas de utilização variam muito na Europa. A Suíça, a Áustria, a França e a Suécia registam os valores mais elevados de utilização dos caminhos-de-ferro, de acordo com diferentes métricas.

Quem viaja mais de comboio na Europa? Quais os países com maior percentagem de utilização do comboio no transporte de passageiros? Quais são os países com maior densidade de linhas ferroviárias?

Existem diferentes métricas para medir a prevalência do transporte ferroviário de passageiros. Um deles é o número de passageiros-quilómetros, que corresponde à distância média percorrida nos caminhos-de-ferro (viagens nacionais e internacionais) por habitante.

O transporte total de passageiros é igual à soma do transporte nacional e internacional de passageiros. A nacionalidade do passageiro não é tida em consideração. Em vez disso, o local da viagem é considerado nos conjuntos de dados de passageiros-quilómetros por habitante e de número de viagens por habitante.

Para as viagens internacionais, os dados relativos aos passageiros-quilómetros apenas incluem a distância percorrida nas redes nacionais ou, por outras palavras, a parte da viagem que ocorre num determinado território nacional, e não a distância de toda a viagem.

Como existe uma diferença notável entre as viagens antes da COVID-19 e o período pandémico, é útil considerar os valores de 2019 e 2021. As comparações aqui apresentadas baseiam-se maioritariamente nos dados de 2019.

Transporte ferroviário: Passageiros-quilómetros por habitante

Em 2019, os passageiros-quilómetros por habitante em viagens nacionais e internacionais variaram entre 117 km na Grécia e 2 378 km na Suíça. A média da UE foi de 927 km. Em 2021, estes países não mudaram, mas os números sim. Foram 61 km na Grécia e 1.536 na Suíça, enquanto a média da UE caiu para 583 km.

Em 2019, a Áustria (1440 km) tinha o maior número de passageiros-quilómetros da UE, seguida da França (1437 km), da Suécia (1429 km), da Alemanha (1208 km) e do Reino Unido (1078 km).

A Dinamarca (1.063 km), a Chéquia (1.019 km) e a Itália (939 km) foram outros países com números superiores à média da UE.

Os países dos Balcãs apresentam, em geral, um número inferior de passageiros-quilómetros por habitante.

Malta e Chipre não têm caminhos-de-ferro.

Fatores que influenciam as viagens internacionais

As viagens internacionais refletem a importância dos trabalhadores pendulares internacionais na força de trabalho da Europa, a proximidade relativa das capitais ou de outras cidades às fronteiras internacionais, o acesso a ligações ferroviárias de alta velocidade e a posição ao longo dos principais corredores de transportes internacionais, de acordo com o Eurostat.

Em 2021, o Luxemburgo apresentava, de longe, a distância média mais longa para os viajantes ferroviários internacionais, com 136 quilómetros por habitante, seguido da Suíça (65,2 km).

A Chéquia (57,5 km), a França (48,6 km), a Alemanha (43,7 km), a Dinamarca (36,8 km) e a Áustria (26 km) apresentaram médias mais elevadas de passageiros-quilómetros por habitante em viagens internacionais do que a média da UE (22,7 km).

PUBLICIDADE

A Estónia, a Letónia, a Lituânia e a Grécia não comunicaram quaisquer dados sobre viagens ferroviárias internacionais.

Número de viagens de comboio por habitante

Em 2019, a Suíça também liderou o número de viagens de comboio por habitante, com 60,8 viagens. Entre outros países, este número variou entre 1,8 viagens na Lituânia e 40,8 viagens no Luxemburgo. A média da UE foi de 18,4 viagens.

Todos estes números foram significativamente inferiores em 2021.

Em 2019, o número de viagens de comboio por habitante foi superior à média da UE na Dinamarca (35,6), Alemanha (35,4), Áustria (31,4), Reino Unido (27,6), Suécia (25,9) e França (18,8).

PUBLICIDADE

Quota-parte dos comboios no transporte de passageiros

A repartição modal do transporte terrestre de passageiros é outro indicador significativo. Este valor descreve a quota relativa de cada meio de transporte, como o rodoviário ou o ferroviário, no total dos meios de transporte.

De acordo com o Eurostat, os transportes terrestres abrangem todas as atividades de transporte que passam por terra ou todos os meios para além do transporte aéreo e marítimo. Incluem, nomeadamente, as viagens em automóveis de passageiros,  comboios e autocarros, camionetas e elétricos.

As quotas são calculadas para cada meio de transporte a partir do total de passageiros-quilómetros com base em dados de acordo com o princípio da territorialidade, refletindo todos os transportes realizados no território de um determinado país.

Em 2019, os comboios representavam 8 % do transporte terrestre de passageiros na UE, mas esta percentagem caiu para 6 % em 2021. Em 2019, as percentagens dos comboios no transporte terrestre de passageiros variaram entre 1% na Grécia e 13,9% na UE.

PUBLICIDADE

Entre os países europeus para os quais existem dados disponíveis, a Macedónia do Norte (0,6%) tinha a percentagem mais baixa e a Suíça (20%) a mais elevada.

Em 2019, à semelhança de outras métricas, a Suíça foi seguida pela Áustria (20%), Suécia (12,2%), Países Baixos (11,2%) e França (10,3%).

A Alemanha (9,3%) e o Reino Unido (8,5%) também registaram percentagens mais elevadas do que a média da UE.

Os países dos Balcãs, como a Sérvia (0,8%), a Grécia (1%) e a Bulgária (2,2%), tinham percentagens muito baixas de comboios no transporte terrestre de passageiros.

PUBLICIDADE

Densidade das linhas ferroviárias

Em 2021, a densidade das linhas ferroviárias, medida em quilómetros por 1 000 km² de superfície terrestre, variava entre 8 km na Albânia e 133 km na Suíça.

Na UE, variava entre 18 km na Grécia e 123 km na Chéquia.

Os dados sobre as redes ferroviárias incluem tanto as linhas de alta velocidade como as convencionais. Estes valores excluem as redes de metropolitano ligeiro e de metro, bem como os eléctricos.

A densidade da rede ferroviária foi também superior a 100 km na Bélgica (dados de 2010, 118 km), na Alemanha (109 km) e no Luxemburgo.

PUBLICIDADE

Esta densidade era de 67 km no Reino Unido, 43 km em França e 32 km em Espanha.

A UE apela a um menor consumo individual de energia

A Comissão Europeia tem apelado a um menor consumo individual de energia, e os transportes públicos têm um grande potencial de redução do consumo de energia.

A quantidade de energia necessária para que uma pessoa percorra um quilómetro em transportes públicos é claramente muito inferior à do automóvel particular.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Onde ficam as estações de comboio mais bonitas da Europa?

Suíça converte pilotos de aviões em maquinistas

Carro sem condutor chinês atropela uma pessoa que não respeitou o semáforo